sábado, 21 de maio de 2016

Você se ama?

Essa é uma das questões de ouro! A resposta mais fácil é "Sim, eu me amo". Mas assim como o "Oi, tudo bem?" nunca é respondido com um mínimo de reflexão, eu te proponho algo diferente: pense sobre isso alguns instantes, e, depois de ler esse post, responda a si mesma (o) de novo.

"A beleza vem em todos os tipos de tamanhos. Meu tamanho é fofo."


Você x Espelho

Parece que isso não nos influencia, mas (per)seguir musas fitness que não tem nada a ver com seu biotipo físico nas redes sociais pode afetar muito sua imagem sobre si mesma. Ser bombardeada por fotos de exercícios pesadíssimos que não cabem na sua rotina e pratos com proteínas das quais você nunca ouviu falar não me parece bom pra ninguém. Nem ovo de páscoa pode, gente. Se não for saudável pra você, unfollow já!

Desde nova eu ouço da minha família (principalmente das mulheres) que eu estou acima do peso e que eu deveria emagrecer. Isso se fixou na minha mente de uma maneira perversa e destrutiva. Por muito tempo eu lutei contra a balança, me odiando por ter furado (mais uma!) dieta ao comer algumas balinhas no cinema. 
Mas qual o objetivo disso tudo? Saúde? Com certeza não, pois sou saudável até dizer chega! Minha comida sempre é balanceada e saudável, gosto de variedades e como até estar saciada. E algumas refeições mais calóricas de vez em quando não fazem mal a ninguém, inclusive fazem um bem danado pra nossa saúde mental hahaha.
Sei que minha família não quer meu mal de forma alguma, mas está tão impregnado na mente de todos a algumas gerações que a mulher para ser bonita deve ser magra, que às vezes repetimos este padrão sem nem pensar, de forma direta ou fazendo comparações destrutivas à outras pessoas.

Qual o seu real motivo de querer ser magra? Você precisa disso para se sentir bonita? 
"Ah, to tão feliz! Emagreci 8 kg. Olha como minha cara estava redonda nessa foto". 
Você já parou pra refletir por que a magreza é considerada bonita e alguns quilos a mais são tão repugnantes pra você? 

Existem (?) pessoas que realmente gostam de academia, de comida regrada, contar calorias e que se divertem ao comprar tênis de treino novo. Mas se não é divertido pra você, vale a pena viver pra isso?

Ilustrações: Carol Rosetti. Livro: Mulheres

Lojas de Roupas

Um outro ponto para pensarmos são as lojas de roupas. Incluindo até mesmo as especializadas em tamanhos maiores. Seja ao entrar numa loja de departamento, ao olhar um catálogo online ou ver desfiles na TV, é fácil perceber: a moda é apenas para as mulheres magras e altas.  

*** Nada contra se você for magra, isso é escolha (ou não) sua. Contanto que você se ame de dentro pra fora, ta tudo bem <3 ***

Problema A: Entrei em uma famosa loja de departamento no shopping outro dia e gostei de várias peças que são tendência. Peguei algumas e fui experimentar. Resultado? Os vestidos longos ficaram compridos demais (e tinham umas fendas sem sentido algum), as blusas me serviram mas não comportaram meus seios, fazendo com que eu tivesse que pegar um número 2 ou 3 vezes maior, os recortes das peças mostravam tudo que eu gostaria de disfarçar e os shorts jeans estão cada vez mais curtos. 
Isso me levou a pensar: Se as roupas são do meu tamanho, por que nada ficou bom em mim? O problema sou eu? 

Problema B: Em contrapartida, a maioria das lojas de tamanhos especiais não conhece suas clientes. Faz peças que não definem as curvas, com tecidos moles, literalmente uns retângulos com buracos que contam com estampas tenebrosas, ainda por cima. 

Imagina-se que as jovens devam comprar roupas em lojas de jovens, mas aparece o problema A. Então você vai na loja de tamanhos maiores, e encontra o problema B: roupas que ninguém usaria se tivesse outra opção! A solução prevista pela sociedade? Encaixe-se nos padrões.


Beleza Renascentista também pode!

Da dieita pra esquerada, respectivamente: Fluvia Lacerda, Ashley Graham e Laura Wells.
Se essas três mulheres desta foto são feias pra você por causa do peso delas, realmente agora é hora de repensar. Sim, elas estão acima das medidas ideais, mas nem por isso não são saudáveis ou bonitas. 

Todas as três tem algo em comum: São modelos. Fluvia, por exemplo, é brasileira e mora em NY, onde mantém uma carreira de sucesso. Ashley foi a primeira "gordinha" a integrar as capas da Sports Illutrated. E Laura já falou abertamente sobre como é a vida das amigas modelos "normais", com quem já conviveu.


Meu ponto principal neste post sobre o peso é: se não está afetando sua saúde, por que se privar de prazeres, lutar contra sua própria imagem no espelho, ou se matar 6 dias por semana em 2 atividades diferentes na academia só para se encaixar em esteriótipos que só reforçam a mulher quanto objeto? 

Se ame, se cuide, invista todo esse tempo e esforço em aprender um idioma novo, em visitar lugares, em fazer um esporte prazeroso! 

A beleza deve se mostrar de dentro para fora.
Você se ama?













Em momento algum eu quis dizer que devemos prejudicar nossa saúde, sobrepeso excessivo pode causar/agravar doenças!